terça-feira, 16 de junho de 2020

ARQUIDIOCESE LAMENTA A MORTE DE DOM VALÉRIO BREDA, BISPO DE PENEDO (AL)

ARQUIDIOCESE LAMENTA A MORTE DE DOM VALÉRIO BREDA, BISPO DE PENEDO (AL)

A Arquidiocese da Paraíba recebe, com profundo pesar, a notícia da páscoa de Dom Valério Breda, Bispo da Diocese de Penedo, Alagoas, nesta terça-feira, dia 16 de junho. Dom Valério estava hospitalizado desde o dia 15 de abril, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Esta Igreja Particular, na pessoa de seu Arcebispo, Dom Manoel Delson, e com todas as Dioceses do Regional Nordeste 2, se solidariza com os familiares e com os irmãos da Diocese de Penedo neste momento da perda de seu amado pastor.

Na certeza da vida eterna, deixada por nosso Senhor Jesus Cristo, nos consolamos e aguardamos o reencontro, no dia da luz eterna.

ARQUIDIOCESE EMITE DECRETO AUTORIZANDO A VOLTA GRADUAL DAS CELEBRAÇÕES

ARQUIDIOCESE EMITE DECRETO AUTORIZANDO A VOLTA GRADUAL DAS CELEBRAÇÕES

ARQUIDIOCESE EMITE DECRETO AUTORIZANDO A VOLTA GRADUAL DAS CELEBRAÇÕES

A Arquidiocese da Paraíba emitiu novo decreto autorizando o retorno gradual das atividades religiosas com a presença dos fieis. Na decisão do Arcebispo, além das Missas, estão permitidas as realizações de batizados, casamentos, confissões, exéquias e unção dos enfermos, sempre respeitando as normas recomendadas pelas autoridades sanitárias e de saúde.

As igrejas, durante as celebrações, não poderão ultrapassar o limite de 30% da capacidade total. Além disso, todas deverão oferecer álcool em gel nas entradas, além de marcações nos bancos e no piso, alertando sobre o distanciamento entre as pessoas. Aos fieis, caberá a obrigatoriedade de uso de máscara, não promover aglomeração ou “aperto de mãos” em qualquer momento e respeitar o limite da capacidade estabelecida.

Caberá às paróquias determinarem a forma de organizar os fieis no acesso às celebrações. O novo decreto entra em vigor no próximo dia 20 de junho.

 

Confira na íntegra:

 

† Frei Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap

 

Arcebispo Metropolitano da Paraíba

 

Ide aos meus irmãos

Por mercê do Senhor Uno e Trino e da Santa Mãe Igreja

Arcebispo Metropolitano da Paraíba

 

Aos que o presente Decreto virem,

Saudações de Paz e Bênçãos em Nosso Senhor Jesus Cristo!

 

Prot. Decreto Nº 004/20

Diretrizes pastorais da Arquidiocese da Paraíba para a retomada gradual das celebrações litúrgicas e demais atividades religiosas, com a presença de fiéis, no contexto da pandemia da COVID-19

Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap, Arcebispo Metropolitano da Paraíba, considerando o Decreto Nº 40.304 do Governo do Estado da Paraíba (12.06.2020) e as “Orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil para as Celebrações Comunitárias no contexto da pandemia da COVID-19” (21.05.2020), ciente de que a Igreja também tem a grave responsabilidade de prevenir o contágio, salvo as determinações de cada Município, com o presente decreto normativo (cân. 31 do Código de Direito Canônico), dispõe, até que se determine diversamente, as seguintes diretrizes pastorais, a serem observadas no território da Arquidiocese da Paraíba:

 

I – A CELEBRAÇÃO DA EUCARISTIA

 

1-  A Celebração da Eucaristia nas sedes das Igrejas aconteça com ocupação máxima de 30% da capacidade, com aviso público da quantidade de fiéis, observando todas as normas de distanciamento social, de acordo com as disposições emanadas pelo governo do Estado e dos Municípios. Para as paróquias mais frequentadas, multipliquem-se onde for possível, os horários das Missas dando-se preferência às celebrações campais.

 

2-    Mantenham-se as transmissões paroquiais das celebrações pelas redes sociais para os fiéis impossibilitados de cumprir presencialmente o preceito dominical, aos quais recomendamos vivamente a leitura orante da Palavra de Deus e a prática da comunhão espiritual.

 

3-    Recomenda-se aos fiéis idosos (acima de sessenta anos), crianças (abaixo de doze anos) ou àqueles em situação de risco, para que continuem, temporariamente, acompanhando a Celebração da Eucaristia dominical pelas redes sociais da sua paróquia. Permanecendo, portanto, dispensados do preceito dominical os fiéis que não puderem sair de suas casas.

 

4-    Favoreça-se aos fiéis, o quanto possível, o acesso às Igrejas, recordando, para o bem comum e a saúde da comunidade, que não é permitido o ingresso nas Igrejas àqueles com sintomas gripais ou em presença de temperatura corpórea elevada.

 

5-    Nos horários previstos para as celebrações, as Igrejas estejam completamente higienizadas com as portas de entrada e saída abertas, facilitando o fluxo e evitando o contato por parte dos fiéis com puxadores ou maçanetas. Evitem-se, portanto, qualquer tipo de aglomeração de fiéis, sejam nas entradas que nas saídas. As pias de água benta estejam higienizadas e vazias.

 

6-    Os Párocos e Administradores Paroquiais orientem e organizem as equipes de secretaria e de acolhida, visivelmente sinalizadas, para que auxiliem os fiéis no cumprimento das normas de proteção. Para a segurança de todos, é devido nas Igrejas: o uso de máscaras, a higienização das mãos à entrada da Igreja com o álcool em gel, a ocupação do lugar sinalizado com a distância de no mínimo 1,5m entre os fiéis. Obs: A regra do distanciamento não se aplica a pessoas que convivem no mesmo ambiente.

 

7-    Os Párocos e Administradores Paroquiais orientem e organizem as equipes de liturgia para que higienizem, ao início de cada celebração, as mãos e os objetos litúrgicos necessários à celebração. Não sejam utilizados impressos de papel e os grupos de cântico litúrgico, respeitado o distanciamento, atuem com um número reduzido de pessoas.

 

8-    Para a distribuição da Sagrada Comunhão, os celebrantes e os ministros, após a higienização das mãos, endossem as máscaras e tenham o cuidado de oferecer a hóstia, em silêncio, sem ter o contato com as mãos dos fiéis. Entre os ritos preparatórios à Comunhão Eucarística, se omita “dar as mãos” durante a oração do Pai-Nosso e o sinal da paz.

 

9-    Na procissão para a Sagrada Comunhão, os fiéis devem respeitar o distanciamento previamente sinalizado no pavimento da Igreja e os ministros, utilizando máscaras, higienizem as mãos antes e depois da distribuição.

 

10- A Sagrada Comunhão seja distribuída nas mãos. Com exceção do sacerdote que preside, eventuais concelebrantes comunguem no cálice por intinção.

 

11- Fora da Missa os Ministros podem levar a Sagrada Comunhão aos fiéis em casa, desde que não sejam de grupo de risco, observadas as normas de proteção de saúde para os membros de cada residência.

 

12- Durante as celebrações sejam colocados contenedores nas Igrejas, em lugares considerados adequados, para que os fiéis possam fazer as suas ofertas ao término da celebração.

 

13- As Paróquias, em que tais exigências não puderem ser atendidas, continuem celebrando as Missas pelas redes sociais, providenciando os Párocos e Administradores Paroquiais, o quanto antes, de adaptarem as suas estruturas físicas e pessoais.

 

 

II OUTRAS CELEBRAÇÕES E ATIVIDADES PASTORAIS

 

14- As regras acima relativas à higiene e ao distanciamento entre participantes aplicam-se, de igual modo, às demais ações litúrgicas e aos outros atos de piedade.

15- As celebrações batismais sejam realizadas de modo a não provocar aglomeração de pessoas. Se avalie, portanto, a oportunidade de que sejam individuais e que aconteçam em horários diversos das Celebrações Eucarísticas com o povo.

16- O sacramento da reconciliação ou da penitência, sem comprometer o sigilo sacramental, aconteça em um espaço amplo que permita o distanciamento entre confessor e penitente, que usarão máscaras.

17- Além das medidas gerais de proteção, o sacramento da unção dos enfermos seja administrado sem contato físico administrando-se o óleo dos enfermos com algodão, que será depois incinerado.

18- As celebrações dos matrimônios e das ordenações estão sujeitas às mesmas restrições e condicionamentos da Missa.

19- As celebrações do sacramento do Crisma, neste período, estão suspensas. Fica a critério do Arcebispo avaliar a necessidade e a conveniência de cada caso.

20- As celebrações das exéquias sejam realizadas sem a superação da quantidade máxima exigida dos 30% proporcionada ao ambiente que se trate.

21- Os ministros ordenados com idade avançada ou em situações de risco avaliem, consideradas as próprias condições de saúde, a possibilidade de retomarem as celebrações nas paróquias, observadas todas as medidas de proteção e o distanciamento.

22- Evite-se as reuniões pastorais durante este período. Quando necessárias, sejam realizadas pelos meios de comunicação social.

23- Ficam suspensas, até que se determine o contrário, as peregrinações, procissões, retiros, romarias e todas as atividades com aglomeração de fiéis.

24- As regras relativas à higiene e ao distanciamento entre participantes aplicam-se, de igual modo, às “Novas Comunidades” que ordinariamente promovem celebrações.

25- Para os casos omissos, se proceda conforme as “Orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil para as Celebrações Comunitárias no contexto da pandemia da COVID-19” (21.05.2020) e para eventuais dúvidas, se consulte o Vigário Geral.

26- Considerando as deliberações das autoridades competentes, sendo necessário, outras medidas poderão ser adotadas em vista da superação da pandemia da COVID-19.

27- Este decreto, vigente na data da sua assinatura, adquire a sua eficácia a partir do sábado, dia 20 de junho de 2020.

Rogando a intercessão da Virgem Maria, sob o título de Nossa Senhora das Neves, suplicamos à Deus bênçãos de saúde e paz para o nosso povo!

 

Dado e passado nesta Cúria Metropolitana aos dezesseis dias do mês de junho do ano de dois mil e vinte.

 

Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, OFMCap

Arcebispo Metropolitano da Paraíba

sexta-feira, 12 de junho de 2020

NA SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI DOM DELSON DÁ A BENÇÃO SOLENE PARA TODA A CIDADE DE JOÃO PESSOA E DEMAIS CIDADES DO ESTADO

NA SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI DOM DELSON DÁ A BENÇÃO SOLENE PARA TODA A CIDADE DE JOÃO PESSOA E DEMAIS CIDADES DO ESTADO

Na Ultima quinta-feira, 11, a Igreja celebrou a Solenidade de Corpus Christi. Neste dia, o Arcebispo da Paraíba deu a bênção especial sob a cidade de João Pessoa e demais cidades da Arquidiocese. A Celebração foi sem a presença dos fieis e foi transmitida através da internet.  Dom Delson também orientou os padres para que celebrem este dia respeitando o decreto em vigor na arquidiocese, que determina celebrações sem a presença dos fieis, com transmissões online.

As celebrações do dia de Corpus Christi com o Arcebispo deu inicio às 16h e a celebração deu inicio com a Adoração ao Santíssimo. Em seguida, Dom Delson fará uma pequena procissão dentro das dependências do Seminário Arquidiocesano, onde reside, e em seguida houve a bênção de uma das sacadas do prédio. “Dei a minha bênção sobre João Pessoa e demais cidades de nossa Arquidiocese. Temos fé de que este tempo difícil será superado e sairemos mais fortalecidos como irmãos, filho deste Deus de amor que não nos desampara”, afirma o Arcebispo. Após este momento da bênção, aconteceu a Missa de Corpus Christi na capela do Seminário.

Todo o momento da solenidade foi transmitido ao vivo no canal da Arquidiocese no Youtube e na página oficial no Facebook.

quarta-feira, 3 de junho de 2020

FRANCISCO ENCORAJA À SOLIDARIEDADE NA MENSAGEM PARA O DIA MUNDIAL DAS MISSÕES 2020

FRANCISCO ENCORAJA À SOLIDARIEDADE NA MENSAGEM PARA O DIA MUNDIAL DAS MISSÕES 2020

Na solenidade de Pentecostes, no último domingo, dia 31 de maio, o Papa Francisco divulgou sua mensagem para o Dia Mundial das Missões, celebrado em 18 de outubro de 2020. A mensagem é inspirada na passagem de Isaías “Eis-me aqui, envia-me”, (Is 6, 8). As Pontifícias Obras Missionárias (POM) traduziram o texto ao português do Brasil. O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Odelir José Magri, bispo de Chapecó (SC) e o diretor geral das POM, padre Maurício Jardim falaram ao portal da CNBB sobre os pontos centrais da mensagem. Conheça, abaixo, o que cada um afirmou:

Dom Odelir José Magri, bispo de Chapecó (SC) e presidente da Comissão para Ação Missionária e Cooperação Intereclesial da CNBB

“Acabamos de receber a mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Missões de 2020 que tem como lema, em referência à missão do profeta Isaías, “Eis me, aqui!”. O que destaco de marcante, ou importante, desta mensagem. Primeiro, é dizer que o Santo Padre inicia a sua mensagem situando este momento particular que estamos vivendo, de tribulações e desafios causados pela pandemia do novo Coronavírus. Em referência ao chamado à missão, o Papa afirma, em sua mensagem, que parte do coração de Deus e se concretiza e se situa nas realidades concretas que vamos vivendo. Por isto, interpela a Igreja e interpela também a humanidade na sua crise atual. Por isto, diante da pergunta ‘Quem enviarei?’ este é um chamado sempre atual e confirma o caminho missionário da Igreja sempre iluminado pela palavra de Deus. Este ano, à luz da vocação do profeta Isaías: “Eis me aqui, envia-me!”. E esta realidade que estamos vivendo no mundo, a exemplo dos discípulos, fomos surpreendidos por uma tempestade. Ela mostrou, de um lado, nossas inseguranças e fragilidades. Nos encontramos desorientados. Estamos vivendo uma experiência nova, mas todos chamados a remar juntos. Todos estamos carecidos de mútuo encorajamento que nos aponta que não podemos caminhar cada um por conta própria. Só o conseguiremos juntos. Portanto, esses são os apelos bonitos feitos a todos. E, neste contexto, a missão não é simplesmente um programa, mas um convite a sair de si mesmo. A missão é um convite a sair de si mesmo por amor a Deus e ao próximo e abrir-se à oportunidade da partilha e intercessão. Com esse apelo bonito, a missão que Deus confia a cada de nós nos faz passar do eu medroso e fechado ao eu convicto e resoluto. Tudo isto, à luz do sacrifício da cruz onde se realiza a missão de Jesus. Deixo uma pergunta a todos como servir a Deus no hoje da Igreja e da história? Responder à esta pergunta é responder aos desafios da missão hoje. A missão é resposta livre e consciente ao chamado de Deus. Diante da doença, do medo, do isolamento, de que está sozinho e abandonado. O convite à missão hoje é um convite a sermos solidários”.

Padre Maurício Jardim, diretor das Pontifícias Obras Missionárias no Brasil

“A mensagem do Papa Francisco para próximo Dia Mundial das Missões, em outubro, é marcada pelos desafios causados pela pandemia do Covid-19. Ressalta o papa que estamos no mesmo barco das fragilidades, doenças, medos, isolamentos, desempregos e inseguranças. É neste contexto que ouvimos o apelo missionário de sairmos de nós mesmos, quebrando os espelhos do nosso ego e olhando mais para as janelas que despertam a possibilidade de serviço e proximidade com os mais vulneráveis. A missão é, antes de tudo, movimento permanente do amor de Deus que foi derramado em nossos corações e que fez de nossas vidas uma missão que não se reduz a uma dimensão ou algumas horas do dia. A própria vida é missão, dom que de graça recebemos e colocamos à disposição dos mais necessitados como fez o profeta Isaías: “Eis-me aqui, envia-me”.

Conheça a íntegra da mensagem traduzida ao português do Brasil aqui: www.pom.org.br.

BISPO DE PENEDO (AL), DOM VALÉRIO BREDA, TEM QUADRO DE SAÚDE ESTÁVEL, MAS AINDA PREOCUPANTE

BISPO DE PENEDO (AL), DOM VALÉRIO BREDA, TEM QUADRO DE SAÚDE ESTÁVEL, MAS AINDA PREOCUPANTE

O bispo da Diocese de Penedo (AL), dom Valério Breda, 75 anos, segue respirando com a ajuda de aparelhos, mas com quadro geral de saúde estável. Desde o dia 24 de maio sob cuidados intensivos, o religioso requer uma atenção ainda mais especial dos médicos em relação ao funcionamento dos rins.

O prelado segue internado na UTI neurológica do Hospital Memorial Arthur Ramos, em Maceió, onde deu entrada no dia 15 de abril, após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC).

“Que o Espírito Santo, Senhor que dá a vida, nos conduza neste caminho cercado de muitas privações e provações, e nos encha de Esperança. Unidos em oração, como Igreja Diocesana de Penedo, confiemos na providência e intercessão da Virgem Mãe de Deus, Senhora das Vitórias do Santo Rosário, na certeza de que dom Valério possa recuperar a sua saúde”, afirma, em nota, o vigário geral de Penedo, padre Daniel do Nascimento.

Dom Valério, que é presidente da Comissão Regional Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da CNBB NE2, ficou inicialmente 14 dias na UTI. O religioso chegou a receber alta e ser transferido para a enfermaria do hospital, mas retornou aos cuidados intensivos no dia 3 de maio.

Nas últimas semanas, dom Valério deu início à reabilitação fisioterapêutica e fonoaudiológica, mas agora as terapias estão suspensas. Por precaução, ele foi submetido, no início do mês, a exames para detecção da Covid-19. Os dois testes realizados em laboratórios diferentes tiveram resultados negativos para a infecção.

CNBB envia aos bispos do Brasil orientações litúrgico-pastorais para retorno às atividades

CNBB envia aos bispos do Brasil orientações litúrgico-pastorais para retorno às atividades


Aos poucos, as autoridades políticas estaduais, observando as medidas sanitárias, vão permitindo a abertura de atividades após um período mais intenso de isolamento social como medida para contenção do avanço do novo coronavírus. Entre as ações permitidas encontra-se a possibilidade do retorno da realização de celebrações religiosas e missas.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) enviou a todo episcopado brasileiro, dia 31 de maio, um documento de oito páginas com as “Orientações Litúrgico-Pastorais para o retorno às atividades presenciais”. A orientações foram elaboradas pela Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB a partir de experiências de dioceses do Brasil e do exterior. Cabe, contudo, ao bispo de casa Igreja Particular, à luz de cada realidade local, orientar os fieis neste retorno às atividades presenciais.

O documento sistematiza uma série de orientações gerais para a organização e realização das missas e os cuidados que devem ser tomados antes, durante e após cada celebração. Também apresenta orientações específicas, como o ritual para os batizados. Um cuidado necessário é a orientação aos fieis que apresentarem sintomas e que integram os grupos de risco a ficarem em suas casas, onde as comunidades devem se organizar para ministrar a comunhão.

Outra indicação também é que as comunidades fixem em cartazes as observações relativas à higiene para evitar a disseminação do novo coronavírus. A utilização de máscaras, que poderão ser tiradas apenas no momento da comunhão, será obrigatória. 

“Orientações Litúgico-Pastorais para o retorno às atividades presenciais”
Orientações da CNBBpara as CelebraçõesComunitáriasno contexto da pandemia daCOVID –19
Fonte: CNBB

segunda-feira, 1 de junho de 2020

ARQUIDIOCESE REALIZA TRÍDUO ONLINE E DOM DELSON PEDE VELA NAS JANELAS EM SINAL DE UNIDADE

ARQUIDIOCESE REALIZA TRÍDUO ONLINE E DOM DELSON PEDE VELA NAS JANELAS EM SINAL DE UNIDADE

NO ULTIMO DOMINGO, DIA 31 DE MAIO, A IGREJA CATÓLICA CELEBROU O DIA DE PENTECOSTES. NA ARQUIDIOCESE DA PARAÍBA, TRADICIONALMENTE ACONTECE UMA GRANDE CELEBRAÇÃO QUE REÚNE MILHARES DE PESSOAS. PORÉM, COM A PANDEMIA, ESTA CELEBRAÇÃO NÃO ACONTECERÁ COMO NOS ÚLTIMOS ANOS. O ARCEBISPO DA PARAÍBA, DOM MANOEL DELSON, EMITIU UMA CARTA ABERTA ONDE CONVOCOU AOS FIEIS A INTENSIFICAREM AS ORAÇÕES EM CASA E ACENDEREM UMA VELA NA JANELA, ÀS 18H, EM SINAL DE UNIDADE. NAS IGREJAS, OS SINOS DE TODAS AS PAROQUIAS TOCARAM POR 5 MINUTOS AO MEIO DIA.

Na Carta, Dom Delson lamenta o distanciamento, mas reforça que o mesmo é necessário para salva e guardar as vidas, já que os números de infectados com o novo coronavírus não para de crescer no Estado. “Este ano, devido à pandemia que atravessa de modo avassalador toda humanidade, não podemos estar fisicamente unidos. Por isso, com sentido de profunda responsabilidade humana e pastoral, seguimos no cumprimento estrito das orientações das autoridades de saúde, que orientam a evitar aglomeração de pessoas. Se para o meu coração de pastor é muito doloroso não poder ver e abraçar cada um de vocês, é meu dever também não ignorar que a vida, em todas as suas circunstâncias, é um bem absoluto que devemos preservar. Como povo pela vida sofremos com esta ausência física, mas sabemos que os laços de fé que nos unem não se quebram, antes se fortalecem, pois como nos recorda S. Paulo, ‘o Espírito Santo vem em auxílio da nossa fraqueza’ (Romanos 8, 26)”.

A CELEBRAÇÃO

Para celebrar Pentecostes, a Arquidiocese realizou um Tríduo, que foi transmitido pelo canal no Youtube e fanpage oficial no Facebook. De quinta a sábado, às 20h, um momento celebrativo foi conduzida por padres e leigos que pode ser acompanhado por todos, através da internet, com o subsídio que está disponível para download no site e redes sociais da Arquidiocese.

             Já no domingo, dia de Pentecostes, aconteceu a Santa Missa com o Arcebispo, às 10h, que foi transmitida pelo Facebook e Youtube da Arquidiocese. Neste dia, às 12h, os sinos das igrejas tocaram por 5 minutos. e quando o relogio marcou 18h, todos foram convidados a acenderem uma vela  e colocar nas janelas das casas e rezarem em unidade pelo fim da pandemia.

Publicidade!

Publicidade!

Veja o Nosso Canal no Youtube

Publicidades

Publicidades

Publicidade!

Publicidade!

Mapa de Acesso da Jampa Jovens

Anuncie Aqui clique e saiba mais...

CLIQUE AQUI E CURTA A NOSSA PAGINA NO FACEBOOK

Facebook da Rádio Jampa Jovens

Direito Reservado a Jampa Jovens LTDA. Tecnologia do Blogger.